Nova—Velha DANÇA, João Fiadeiro | 09 e 11 de Março | Teatro Sá da Bandeira, Santarém

João Fiadeiro, que esteve pela primeira vez em Santarém no ciclo “Criação e Linguagem”, promovido pelo Teatro Sá da Bandeira em 2016, é um dos mais influentes criadores e pedagogos contemporâneos, com trabalho prolífico na relação entre arte e ciência. Reconhecido pelo desenvolvimento do sistema “Composição em Tempo Real” e fundador da RE.AL, estrutura basilar para a investigação coreográfica em Portugal, Fiadeiro apresenta duas peças recentes onde se encontra, porém, uma vontade genealógica de revisitação do seu próprio percurso artístico. I Was Here é uma “conferência-performance” alusiva a I Am Here, peça por si criada em 2003, ambas em diálogo com a obra da artista Helena Almeida. Por outro lado, Este Corpo que Me Ocupa, uma performance de 2008, “re-posta” em 2014, que o autor define como “peça-tese”, propõe uma espécie de síntese de algumas questões essenciais da sua obra, como as noções-tensões entre “tempo e duração”, “presença e ausência”, ou “real e ficção”. Questões como estas serão ainda abordadas numa conversa em fim de espetáculo com a investigadora Paula Caspão, integrada no programa de conversas e activações da Timeline.

9 Março (quinta-feira) – TSB – 21:30
Sessão de filmes a propósito da obra de João Fiadeiro, incluíndo:
The End of a Love Affair, 2003 de Pedro Costa
5 anos da Re.Al, 1995 de Laurent Simões
entre outros

11 Março (sábado) – TSB – 17:30
I Was Here, 2014 de João Fiadeiro
55’| M/6

“I Was Here revisita a peça I Am Here criada em 2003 e que, por sua vez, visita o universo da artista plástica Helena Almeida. Este ‘hábito’ de re-visitar, re-habitar, viver a mesma coisa, mas de um outro prisma, de uma outra perspectiva, acompanha desde sempre o modus operandi de João Fiadeiro. O dispositivo da ‘conferencia-performance’, lugar híbrido entre a apresentação e a representação, entre a performance e o documento, amplifica ainda mais esse modo de operar, possibilitando a experiência simultânea do estar ‘presente-ausente’, tão cara ao pensamento de Fiadeiro. (…) I Was Here expõe – através da apresentação de filmes, fotos, maquetes e demonstrações – o modo como se deu o encontro com o trabalho e com a própria Helena Almeida; a forma como se desenrolou, nas diferentes escalas, o deslocamento entre o afecto original, a formulação do enunciado e a manifestação da obra; e a forma como se processou a relação com os diversos colaboradores, sobretudo com o artista visual e arquitecto Walter Lauterer, autor da cenografia-escultura que recebe o corpo de João Fiadeiro em I Am Here.”

I Was Here (2014) Concepção e apresentação João Fiadeiro Desenho projecção vídeo Stephan Jurgens Assistência de ensaio e dramatúrgica Carolina Campos Direcção Técnica Pedro Correia

21:30
Este Corpo que Me Ocupa, 2008/2014 de João Fiadeiro
55’| M/6

“Se tivesse que reduzir, numa só palavra, o meu ‘modo de operação’, aquilo que me move e me define enquanto artista, diria que funciono e trabalho com o ’resto’. O ‘resto’ é aquilo que fica, que foi esquecido (porque não existe crime perfeito). O ‘resto’ é o que cria ‘vazio’. E é a prova da ausência de uma presença. Ou, melhor ainda, é a presença de uma ausência. É no ‘resto’ que vamos encontrar os rastos para darmos início à impossível tarefa de re-construir o mundo, uma e outra vez. Atrai-me esta ideia de saber que algo cá esteve antes de mim e que o que ficou, resistiu. O resto é também o que está entre o corpo e ‘a presença do outro no corpo’, uma fuga permanente para coisas que ainda não são, para coisas que podem ser. E é nisso que penso: em como dar a ver o que não está lá. Como trabalhar com uma matéria tão volátil como o vazio. Como apresentar o ‘entre’ das coisas? E, pior ainda, como representá-lo?” João Fiadeiro, 2008

Este Corpo que Me Ocupa (2008/2014) Performance João Fiadeiro Concepção João Fiadeiro e Paula Caspão Textos Paula Caspão com João Fiadeiro Assistência de ensaio e dramatúrgica Carolina Campos Direcção Técnica Pedro Correia

22:30
Conversa e ativação da Timeline com João Fiadeiro, Paula Caspão e Ana Bigotte Vieira

João Fiadeiro (1965) é coreógrafo, performer, professor e investigador. Pertence à geração de coreógrafos que emergiu no final da década de oitenta em Portugal e que deu origem à Nova Dança Portuguesa. Foi bailarino na Companhia de Dança de Lisboa (86-88) e no Ballet Gulbenkian (89-90). É director artístico do ATELIER | RE.AL (fundado em 1990) que, para além da criação e difusão dos seus próprios espectáculos – apresentados regularmente por toda Europa, América do Norte e do Sul – desenvolve uma programação de residências artísticas e apresentações de projectos transdisciplinares. Entre 1995 e 2003 colaborou com os Artistas Unidos na qualidade de responsável pelo “movimento dos actores”, tendo encenado, para essa companhia, dramaturgos como Samuel Beckett, Sara Kane ou Jon Fosse. Entre 2011 e 2014 co-dirigiu em Lisboa, com a antropóloga Fernanda Eugénio, o AND_Lab, uma plataforma de formação e pesquisa na interface entre criatividade, sustentabilidade e quotidiano. Após uma pausa de 6 anos em que se dedicou exclusivamente ao processamento e sistematização do método de “Composição em Tempo Real” – sistema de composição e improvisação desenvolvido e sistematizado por João Fiadeiro desde 1995 –, onde cruzou a sua investigação com áreas científicas como a Neurociência ou as Ciências dos Sistemas Complexos, João Fiadeiro voltou em 2015 à criação coreográfica com a criação de grupo O que Fazer Daqui para Trás. João Fiadeiro tem orientado com regularidade workshops em diversas escolas e universidades nacionais e estrangeiras, sendo actualmente doutorando em Arte Contemporânea no Colégio das Artes da Universidade de Coimbra.