Nesta última semana de Setembro a artista Sara Vaz esteve em residência no Atelier Real com o projecto intitulado “MERCI A ANTESTREIA”.

MERCI A ANTESTREIA é a segunda parte de MERCI, um espectáculo/vídeo-instalação estreado no Festival Temps d’Images 2016, onde o corpo não estava ao vivo e se estabelecia uma coreografia da imagem. A primeira parte abordava o final de uma história entre duas personagens, a Autora e X. X é alguém que observa. X é também o próprio espectador. MERCI A ANTESTREIA é a construção da história no presente, entre Merci e o Espectador, variantes das personagens da Autora e de X, servindo assim de prólogo e simultaneamente de epílogo à primeira parte. Neste espectáculo, o corpo e a imagem estão presentes e a construção das cenas obedece a uma lógica cinematográfica de montagem em tempo real onde a autora manipula todos os elementos, desde a interpretação à execução audiovisual. 
A Antestreia investiga modos de construção de histórias, incidindo sobre os autores Jean-Luc Godard e Marguerite Duras: “MD: Não acredito que a Imagem possa substituir o que eu chamo de ‘proliferação indefinida’ da palavra. JLG: Mas porquê eliminar a imagem completamente? MD: Mas porquê eliminar a palavra? JLG: Não! Eliminar o facto de ver sem dizer! MD: Eu não o elimino! Por isso faço cinema!”

FICHA TÉCNICA MERCI A ANTESTREIA
Concepção, Texto, Interpretação : Sara Vaz
Cenografia e Edição do Livro: Marco Balesteros
Assistentes de Ensaios: Rafael Ascenção e Rita Duarte
Apoio à Sonoplastia : BlackBambi
Apoio Técnico Audiovisual: Alexandre Coelho e Diogo Justino
Operador Legendas: Rita Duarte
Residências Artísticas: Fábrica das Ideias – Gafanha da Nazaré, AADK Spain e Teatro Municipal da Guarda (TMG)
Espaço de Ensaios: Atelier REAL
Coprodução: Temps d’Images / DuplaCena Lda
Apoio: Fundação Calouste Gulbenkian 
Agradecimentos: Atelier REAL, João Alves, João Fiadeiro, Patrícia Almeida, David- Alexandre Guéniot e Daniel Coimbra.